Caverna Mágica

A Caverna Mágica

Era uma vez uma mulher que morava numa casinha modesta, ao pé de uma montanha onde havia uma grande floresta. Tinha um filho a quem amava muito.
Em um certo dia de verão, a mulher levou o filho para colher morangos. Colheram tantos quantos puderam. Mas, tão logo a mulher encheu a cesta, viu abrir a porta de uma grande caverna diante dela. Enormes pilhas de ouro brilhavam no chão, e uma mulher muito velha guardava o tesouro.

- Entre, boa mulher - disse a velha. - Leve quanto ouro puder pegar de uma só vez.
A mulher entrou na caverna e, segurando o filho pela mão, pegou um punhado de moedas de ouro, guardando-as no avental. Mas o toque do ouro despertou uma enorme cobiça e, esquecendo o filho, pegou mais dois punhados de moedas e saiu correndo da caverna.
No mesmo instante, ouviu um estrondo atrás dela.
- Mulher infeliz! Perdeu o seu filho até o próximo verão! - gritou a guardiã do tesouro.
A porta da caverna se fechou e a criança ficou presa lá dentro.
A pobre mulher torceu as mãos, desesperada, chorou e implorou, mas não adiantou. Foi para casa sem o filho. Voltou todos os dias ao lugar, mas a porta nunca mais se abriu, e ela não conseguiu mais encontrar a caverna.
No ano seguinte, no dia que completaria um ano sem o filho, ela acordou bem cedo e foi correndo ao lugar. Ao chegar, encontrou a porta aberta. As pilhas de ouro brilhavam no chão, e a velha guardiã ao lado, cuidava do tesouro. Ao lado delas estava o menino.
- Entre, boa mulher - convidou a guardiã - Leve quanto ouro puder pegar de uma só vez.
A mulher entrou na caverna e, sem sequer olhar para o ouro, agarrou o filho, tomou-o nos braços e saiu rápido da caverna.
- Boa mulher - disse a velha - leve o menino para casa, pois agora seu amor é maior que a cobiça.  
A mulher voltou para casa com o menino e o amou mais que o ouro pelo resto da vida.
Adaptado do livro "O Livro das Virtudes II - O compasso moral"


Valorize as relações!

Estude a história de pessoas bem-sucedidas e financeiramente abastadas por mérito de seu trabalho. Em todos os casos, você perceberá que elas têm atributos pessoais como determinação, foco, ambição e outras qualidades que as fizeram chegar ao topo.
Mas há outro elemento importantíssimo e essencial para "subir" na vida: o respeito aos relacionamentos e o valor dado ao ser humano.
Tentar ganhar sozinho é ser ganancioso e esquecer que pessoas à sua volta são importantes para que você alcance qualquer objetivo. Qualquer honra ao mérito - seja material ou intangível - só será sustentável e crescente se você não deixar para trás as pessoas que o apoiaram na jornada.
Na história acima, o exemplo é exagerado, já que o amor de uma mãe por seu filho é incondicional. Mas o exagero é para você perceber o quanto dói a perda de um relacionamento que você preza tanto.
Então, em qualquer decisão que você precise tomar, veja quais pessoas serão envolvidas e as consequências que essa diretriz trará a elas. Decida como se cada uma delas fosse um filho seu, que depende de seu amor e respeito para continuarem envolvidas com você e com seus ideais.
Tomar decisões, muitas vezes, requer escolhas, e estas, às vezes, farão com que você tenha perdas. O importante é tentar minimizar os efeitos negativos de sua escolha - tanto para você quanto para os que estão ao seu lado.
Reflita, mas tome a decisão e vá em frente. Essa reflexão não pode brecar seus sonhos.
Um enorme e inspirador abraço para você!
Tenha um excelente final de semana.
Autor: Marcio Zeppelini

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seleção de cursos para profissionais da área da Educação!
São Cursos reconhecidos e de Qualidade!
Recomendo!