Mostrando postagens com marcador Motivação. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Motivação. Mostrar todas as postagens

Caverna Mágica

A Caverna Mágica

Era uma vez uma mulher que morava numa casinha modesta, ao pé de uma montanha onde havia uma grande floresta. Tinha um filho a quem amava muito.
Em um certo dia de verão, a mulher levou o filho para colher morangos. Colheram tantos quantos puderam. Mas, tão logo a mulher encheu a cesta, viu abrir a porta de uma grande caverna diante dela. Enormes pilhas de ouro brilhavam no chão, e uma mulher muito velha guardava o tesouro.

- Entre, boa mulher - disse a velha. - Leve quanto ouro puder pegar de uma só vez.
A mulher entrou na caverna e, segurando o filho pela mão, pegou um punhado de moedas de ouro, guardando-as no avental. Mas o toque do ouro despertou uma enorme cobiça e, esquecendo o filho, pegou mais dois punhados de moedas e saiu correndo da caverna.
No mesmo instante, ouviu um estrondo atrás dela.
- Mulher infeliz! Perdeu o seu filho até o próximo verão! - gritou a guardiã do tesouro.
A porta da caverna se fechou e a criança ficou presa lá dentro.
A pobre mulher torceu as mãos, desesperada, chorou e implorou, mas não adiantou. Foi para casa sem o filho. Voltou todos os dias ao lugar, mas a porta nunca mais se abriu, e ela não conseguiu mais encontrar a caverna.
No ano seguinte, no dia que completaria um ano sem o filho, ela acordou bem cedo e foi correndo ao lugar. Ao chegar, encontrou a porta aberta. As pilhas de ouro brilhavam no chão, e a velha guardiã ao lado, cuidava do tesouro. Ao lado delas estava o menino.
- Entre, boa mulher - convidou a guardiã - Leve quanto ouro puder pegar de uma só vez.
A mulher entrou na caverna e, sem sequer olhar para o ouro, agarrou o filho, tomou-o nos braços e saiu rápido da caverna.
- Boa mulher - disse a velha - leve o menino para casa, pois agora seu amor é maior que a cobiça.  
A mulher voltou para casa com o menino e o amou mais que o ouro pelo resto da vida.
Adaptado do livro "O Livro das Virtudes II - O compasso moral"

O segredo da felicidade segundo a ciência


Editora Globo

O segredo da felicidade é uma preocupação cada vez mais importante na era moderna, já que o aumento da estabilidade financeira proporciona a muitos a oportunidade de se concentrar no crescimento pessoal. Uma vez que já não somos mais caçadores preocupados em encontrar a próxima presa, procuramos viver nossas vidas da melhor maneira possível. 


A busca da felicidade é uma epidemia mundial — em um estudo com mais de 10 mil participantes de 48 países, os psicólogos Ed Diener, da Universidade de Illinois, e Shigehiro Oishi, da Universidade de Virginia, descobriram que pessoas de todos os cantos do mundo consideram a felicidade mais importante do que outras realizações pessoais altamente desejáveis, tais como ter um objetivo na vida, ser rico ou ir para o céu. A febre da felicidade é estimulada em parte pelo crescente número de pesquisas que sugerem que, além de ser boa, a felicidade também faz bem — ela está ligada a muitos benefícios, desde maiores salários e um melhor sistema imunológico até estímulo à criatividade. 

A maioria das pessoas entende que a felicidade verdadeira é mais do que um emaranhado de sentimentos intensos e positivos — ela é melhor descrita como uma sensação plena de “paz” e “contentamento”. Não importa como seja definida, a felicidade é parcialmente emocional — e por isso está ligada à máxima de que cada indivíduo tem um ponto de regulação, como um termostato, definido pela bagagem genética e a personalidade de cada um. 

A felicidade verdadeira dura mais do que uma dose de dopamina, por isso é muito importante pensar nela como algo que vai além da emoção. A sensação de felicidade de cada um também inclui reflexões cognitivas, tais como quando você ri — ou não! — da piada do seu melhor amigo, ou quando analisa o formato do seu nariz ou a qualidade do seu casamento. Somente parte desta sensação tem a ver com o que você sente; o resto é produto de um cálculo mental, em que você computa suas expectativas, seus ideais, a aceitação daquilo que não pode mudar e inúmeros outros fatores. Assim, a felicidade é um estado mental e, como tal, pode ser intencional e estratégico. 

Não importa qual seja o seu ponto de regulação emocional, seus hábitos diários e suas escolhas — da maneira como você lida com uma amizade até como reflete sobre decisões em sua vida — podem influenciar o seu bem-estar. Os hábitos de pessoas felizes foram documentados em estudos recentes e fornecem uma espécie de manual a ser seguido. Aparentemente (e paradoxalmente, é preciso dizer), atividades que causam incerteza, desconforto, e mesmo uma pitada de culpa estão associadas às experiências mais memoráveis e divertidas das vidas das pessoas. As pessoas mais felizes, ao que parece, têm vários hábitos não-intuitivos que poderiam ser considerados como infelizes. Ou seja, nem tudo aquilo que os livros de auto-ajuda defendem que pode te fazer feliz tem parcela significativa na sua felicidade. A felicidade pode vir de onde menos se esperava. Duvida? Que bom, isso significa que você tem grandes chances de ser feliz. Confira a seguir como. 

Fonte: por Todd B. Kashdan e Robert Biswas-Diener | Ilustração: Nik Neves
 Disponível em: <http://revistagalileu.globo.com/ Revista/Common/0,,EMI341920-17773,00-O+SEGREDO+DA+FELICIDADE+SEGUNDO+A+CIENCIA.html> Acesso em: 23 de fev. 2017.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seleção de cursos para profissionais da área da Educação!
São Cursos reconhecidos e de Qualidade!
Recomendo!